BR-163 será duplicada em Mato Grosso

10/06/2014 - Atualizado em 01/08/2014 15:09

 

Odebrecht assumirá BR 163

BR 163 terá 850 km duplicados

Concessionária e governo dividirão obrigação de duplicação da rodovia

A BR-163 corta o estado do Mato Grosso de norte a sul, de Sinop até Itiquira, num trecho de cerca de 851 quilômetros de extensão, sendo de vital importância para o escoamento das produções do agronegócio, por ela trafegam diariamente 70 mil caminhões carregados de soja, algodão e milho. Devido à sua importância para o estado, a rodovia vinha sendo duplicada pela Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte (DNIT), agora, após concessão, terá parte de sua extensão duplicada pela concessionária Odebrecht, vencedora da licitação.

 

Na última segunda-feira, dia 9, a Odebrecht iniciou a duplicação do trecho próximo à Rondonópolis. “Começamos primeiramente com a duplicação nos 22,7 quilômetros entre o perímetro urbano de Rondonópolis e o terminal multimodal de grãos da América Latina Logística. Paralelamente, vamos trabalhando em dois outros pontos: o trecho entre o Posto Gil a Nova Mutum, no norte do estado, e o contorno de Cuiabá, onde vamos conduzir obras de recuperação de pavimento”, disse o diretor-geral da Rota do Oeste, empresa da Odebrecht TransPort, Paulo Lins.

O contorno de Cuiabá contempla o ponto conhecido como “Trevo do Lagarto”, entroncamento das rodovias federais BR-070, BR-163 e BR-364.

A duplicação do terminal deve ser concluída em 2015, já as outras duas obras devem ser entregues em um ano, aproveitando o período de secas para adiantar os trabalhos.

No total a Oderbrecht será responsável por duplicar 453,6 quilômetros, os 395 quilômetros restantes foram ou estão sendo duplicados pelo DNIT. Todos os 850,9 quilômetros devem ser duplicados em até cinco anos.

Licitação da BR-163

Em novembro de 2013, a Odebrecht venceu o leilão realizado pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) ao oferecer um valor de pedágio de R$ 2,638/eixo a cada 100 quilômetros. A empresa conquistou o direito de explorar por 30 anos todo o trecho da rodovia compreendido da fronteira com o Mato Grosso do Sul, em Itiquira, até a cidade de Sinop, no norte do estado.

O pedágio só poderá ser começar a ser cobrado quando 10% das obras de duplicação já estiverem concluídas, cerca de 45 quilômetros. Serão instaladas nove praças de pedágio ao longo da rodovoia, nos quilômetros 38 (Itiquira); Km 138 (Rondonópolis); Km 237 (Campo Verde/Santo Antônio de Leverger); Km 300 (Cuiabá/Santo Antônio de Leverger); Km 402 (Acorizal/Jangada); Km 515 (Diamantino); Km 582 (Nova Mutum); Km 667 (Lucas do Rio Verde); Km 772 ( Sorriso).

“Além da duplicação é preciso que todos os serviços operacionais estejam disponíveis. Com isso, esperamos que em torno de setembro de 2015 comece o pedágio”, pontuou ainda Paulo Lins, da Rota do Oeste, até lá o valor do pedágio de R$ 2,638 por eixo pode ser alterado pelo IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo).

A Rota do Oeste investirá R$ 5,5 bilhões na rodovia, com previsão de que R$ 2,8 bilhões sejam aplicados nos primeiros cinco anos.

 

Se gostou, compartilhe:

2017 - Todos os direitos reservados.