C3I- Centro de Controle, Comunicação e Inteligência

25/06/2014 - Atualizado em 30/06/2014 13:22

 

Cáceres é a maior cidade de fronteira do Mato Grosso. A grande extensão dos limites com a Bolívia torna a cidade o ponto ideal para a implantação do primeiro Centro de Controle, Comunicação e Inteligência, o C3I.

O C3I deu autonomia às forças de segurança da cidade, concentrando em um único ponto todas as forças públicas da cidade. A concentração permite uma maior integração entre as forças, permitindo uma resposta mais rápida e eficiente na prevenção e combate ao crime.

Para este trabalho, o governo investiu mais de R$ 13 milhões em equipamentos tecnológicos e treinamentos de pessoal. “O C3I, Centro de Controle, Comunicação e Inteligência, é uma proposta do governo do Estado, que trabalha em paralelo com a estratégia Nacional de fronteira, cujo propósito maior é dotar todas as infraestruturas de aparatos tecnológicos para que possam dar uma resposta no menor espaço de tempo possível para a população”, afirma Mairton Bezerra, investigador de polícia com 12 anos de experiência na força policial.

Mairton afirma que sente uma resposta positiva da população desde que o C3I foi implantado em Cáceres. “Desde a implantação destas 13 câmeras, aqui no perímetro urbano, a gente tem sentido que a proposta do governo paras questões de estratégia nacional de fronteira tem tido uma receptividade muito positiva”, revela o investigador.

O plano de segurança de fronteiras também formou novas equipes para suprir demandas existentes no combate ao crime. É o caso do Canil Integrado de Fronteira, do Gefron (Grupo Especial de Segurança de  Fronteira), comandado pelo sargento da Polícia Militar, Moracir da Silva Figueiredo.

O novo Canil conta com 11 cães e 4 adestradores, todos treinados em Santa Catarina. A força passa por constantes treinamentos. “ Há dois meses tivemos um curso de nivelamento na modalidade de busca e resgate”, afirma o Figueiredo.

Os Olhos e a Inteligência do Estado

O sucesso do C3I em Cáceres foi pleno, como consequência outras 13 cidades-polo também receberam seus próprios Centros e suas populações agora contam com uma estrutura de segurança de ponta e podem ter maior tranquilidade.

“As pessoas estão vendo que o governo tem investido nas questões do monitoramento urbano, para que o cidadão possa realmente olhar, ver-se na câmeras e dizer: estou seguro, posso andar tranquilo pela cidade, levar meu filho numa praça, porque vamos ter a certeza que os olhos do estados estão no nosso município”, acredita o investigador Bezerra.

Se gostou, compartilhe:

2018 - Todos os direitos reservados.