Instituto Ciranda ganhará casa nova

08/08/2014 - Atualizado em 08/08/2014 15:06

ciranda instituto

Instituto Ciranda vai ganhar sede nova em 2015

A partir de 2015 o Instituto Ciranda estará de casa nova. A sede do instituto irá se mudar para um dos casarões mais tradicionais de Cuiabá, a Casa de Bem Bem, tombada pelo patrimônio histórico e artístico nacional. O casarão construído em 1850 foi cedido pelo governo do Mato Grosso. A reforma será feita com recursos estaduais e do PAC Cidades Históricas.

A nova sede é um reconhecimento justo pelo trabalho feito pelo Instituto Ciranda na última década. O coordenador-geral do Instituto Ciranda, Jorge Moura, explica o princípio do projeto, “Começamos com cerca de 30 alunos, com poucas aulas e um caráter mais ocupacional. “Hoje, atendemos perto de mil alunos, inclusive em outras cidades do estado, e temos um foco profissionalizante. Nossos alunos, ao se formarem, estão preparados para entrar em cursos superiores de música ou atuarem em orquestras”. O próprio Jorge Moura foi um aluno do Instituto Ciranda, que foi criado em 2003.

Desde o começo o Instituto Ciranda ofereceu aulas semanais de música erudita, em mais de 20 instrumentos de orquestra para crianças, jovens e adultos, além de fazer apresentações musicais pelo estado, tudo gratuitamente.

O crescimento do Instituto está ligado à transformação em Ponto de Cultura, em 2005. “Tínhamos no início uma orquestra de sopros. Queríamos nos tornar uma orquestra sinfônica, mas esbarrávamos no preço dos instrumentos” explica Moura que lista alguns exemplos de instrumentos e seus valores. Um fagote custa entre R$ 6 mil e R$ 8 mil, um tímpano sinfônico varia de R$ 10 mil a R$ 12 mil. Um oboé pode custar incríveis R$ 15 mil.

As coisas mudaram quando o Instituto começou a receber recursos. “Os recursos repassados pelo programa possibilitaram a compra dos instrumentos e, consequentemente, a criação da Orquestra Sinfônica Jovem de Mato Grosso, em 2007. Daí para frente nos tornamos mais conhecidos no estado e, em vez de correr atrás de alunos, passamos a ter lista de espera de interessados”, revela o coordenador.

Instituto Ciranda forma profissionais

Um diferencial do projeto é a profissionalização dos alunos, que terminam seus cursos aptos a ingressar em uma faculdade de música, trabalhar em orquestras ou atuarem como professores, como aconteceu com quase que todos os professores que atualmente ministram aulas na sede do Instituto no centro de Cuiabá e nos bairros São João Del Rey e Ribeirão do Lipa. Fora da capital já existem polos em Várzea Grande, Campo Verde, e Nova Mutum, a próxima a receber um polo será Lucas do Rio Verde.

Veja também:

Instituto Ciranda é inclusão e música

Se gostou, compartilhe:

2017 - Todos os direitos reservados.