Qualicopa

02/07/2014 - Atualizado em 02/07/2014 16:36

Em 2010, o Governo do Mato Grosso, através do Qualicopa, abriu o primeiro curso de operador de escavadeira hidráulica, Kenedi Marques foi um dos selecionados. Todo seu material, uniforme e aulas foram custeados pelo Governo, através do Qualicopa, que desde 2010 treinou e empregou mais de 33 mil pessoas, nas mais diversas áreas, por todo o Estado de Mato Grosso.

Junto com a meta em tornar o estado pronto para a Copa, o Qualicopa decidiu focar em reinserir o trabalhador no mercado de trabalho. Além dos cursos de obras, foram oferecidos cursos nas áreas de administração financeira contábil, telemarketing, informática, técnica de vendas, auxiliar de gestão administrativa e hotelaria. Alguns cursos receberam até aulas de inglês. Tudo gratuito, custeado pelo governo, coordenado pela Secretaria de Trabalho, Emprego, Cidadania e Assistência Social (Setecs).

O objetivo do programa era recolocar o mato-grossense no mercado de trabalho, aumentar sua qualidade de vida e vê-lo contribuir com o crescimento do Mato Grosso. E Kenedi é um exemplo de que o programa já deu resultados.

Qualicopa – mudando vidas

Kenedi Marques Moreira de Assunção tem 26 anos, é casado e tem uma filha de cinco anos. Kenedi nunca havia participado de uma construção, muito menos de um estádio. E logo em seu primeiro trabalho como operador de escavadeira recém-formado foi na construção da Arena Pantanal, o maior legado da Copa para o Estado do Mato Grosso. Junto com Kenedi, trabalharam mais 5.210 funcionários na realização das obras de da Arena, todos qualificados pelo Qualicopa.

Com o Qualicopa, Kenedi agora é um profissional perfeitamente qualificado, “agora na minha área eu posso dizer que sou um profissional, porque hoje eu tenho certificado, a CNH que as firmas exigem”, explica Kenedi sobre a conquista alcançada com a formação.

A melhoria no currículo reflete na vida de Kenedi. “Eu vivo melhor com a minha esposa, posso dar um projeto de vida melhor pra minha filha, posso pagar uma escola particular. Porque hoje eu posso dizer que tenho a condição financeira, um patamar bom que dá pra ajudar minha família”, revela Kenedi. Assim como Kenedi, outras 33 mil pessoas tiveram sua vida modificada pela Copa e pelo Qualicopa e hoje podem dar condições melhores às suas famílias.

Esses 33 mil mato-grossenses também podem no futuro dizer aos filhos e netos o papel que tiveram na Copa e no Estado do Mato Grosso. “Posso mostrar pra minha família que eu ajudei o meu estado, a minha cidade, a evoluir” diz Kenedi com orgulho.

Se gostou, compartilhe:

2018 - Todos os direitos reservados.